Quais os benefícios da Automação de Marketing para a sua empresa

A automação de e-mail marketing, se aplicada corretamente, torna-se uma poderosa ferramenta para empresas de diferentes segmentos de mercado. Essa tecnologia revoluciona as estratégias de negócios, permitindo identificar, acompanhar e atuar com seus clientes de forma personalizada, melhorando o relacionamento global e, consequentemente, as vendas.

Através da utilização de software de automação de marketing, as empresas podem atuar em larga escala e aumentar sua performance, economizando recursos e tempo, ampliando efetivamente o alcance de suas campanhas.

Se você está curioso sobre como a automação de marketing melhora o negócio daqueles que optam por investir nesta nova forma de se comunicar com os clientes, este artigo vai ajudar.

A automatização do marketing facilita a organização das atividades diárias, agiliza a gestão e oferece benefícios como:

1 – Uma maior geração de potenciais clientes

Quando a jornada do cliente está mapeada da maneira correta, é muito mais fácil criar guias e processos que atraem e capturam mais clientes potenciais (leads). E de acordo com a TechTrends (2017):

Se isso for feito usando uma ferramenta de automação, você pode obter o dobro de contatos.

2 – Redução do tempo de conversão

Ao contrário das Cold Calls e dos métodos tradicionais de contato com o cliente, o inbound marketing pode ser melhorado pela automatização de processos. Isso permite que você adote uma estratégia de conteúdo totalmente alinhada com seus funis de marketing e vendas.

Isso permite que os clientes se movimentem através do funil automaticamente, quase sem esforço. Os funcionários podem se concentrar em tarefas mais estratégicas que requerem intervenção manual.

3 – Oportunidades de vendas

Com a automação de marketing, você pode manter relacionamentos com os seus leads, onde você vai prepará-los para a compra e garantir um acompanhamento personalizado, o que aumenta a geração de oportunidades de negócios para seu time de vendas.

Isto permite que os potenciais clientes cheguem mais rapidamente à fase de decisão de compra!

4 – Automatização da etapa de pré-venda.

A fase de pré-venda preenche a lacuna entre os leads gerados pela equipe de marketing e o fechamento das vendas propriamente ditas. Ao automatizar este processo, é possível aumentar a escala e a eficiência da abordagem e atingir os potenciais clientes de forma mais assertiva.

Desta forma, os leads são alimentados automaticamente até se tornarem mais sensíveis à compra, reduzindo o esforço do time de pré-venda.

5 – Reduzir o ciclo de vendas

Graças à ferramenta de automação, é possível monitorar, gerir e alimentar seus leads, graças aos quais o processo de vendas se torna mais consultivo. Isto significa que os futuros clientes gastam menos tempo com objeções, o que torna o processo de compra mais rápido e eficiente.

Além disso, de acordo com a Martech Conference:

60% do tempo da força de vendas é dedicado a tarefas de baixo valor.

A automação reduz o ciclo de vendas das empresas.

6 – Velocidade no processo de venda

Graças às atividades de automação, é possível ver quando um potencial cliente está pronto para comprar, demonstrando isso pelas conversões. Quando isso acontece, o cliente potencial está mais bem preparado para a equipe de vendas e aumenta as chances desse lead realizar alguma compra.

Mas é também aqui que se perdem grandes oportunidades devido à falta de algo muito simples: a velocidade. Segundo um estudo da The Ultimate Contact Strategy:

Quando você se contata um lead no primeiro minuto após a conversão, a probabilidade de se tornar um cliente aumenta em até 400%.

7 – Redução de CAC (Custo de Aquisição do Cliente)

A automação permite que você otimize as operações burocráticas e maçantes através de um melhor processamento de informações. Dessa maneira, sua equipe tem mais tempo para expandir seus esforços de campanha, atingir mais usuários e, com isso, prospectar mais clientes com o mesmo investimento.

Em resumo, você está reduzindo o custo de uma aquisição de cliente (CAC).

8 – Aumento significativo do ROI

Graças à automatização das atividades de marketing, os profissionais de um determinado setor podem participar livremente outras atividades estratégicas e demoradas. Além disso, as soluções de automação de marketing fornecem dados estratégicos valiosos para o desenvolvimento e planejamento de negócios digitais. Você concentrará todos os seus esforços no aumento do seu retorno sobre o investimento (ROI) à medida que o seu público e a reputação da marca crescem.

9 – Personalize a sua experiência com o cliente

A automatização de marketing melhora significativamente o contato entre as empresas e os seus clientes. As ferramentas utilizadas para esta finalidade não só permitem enviar mensagens personalizadas com o nome do usuário, mas também focar em seus interesses. Esta interação aproxima os leads da conversão.

10 – Controle e gestão da campanha

As ferramentas de automação de marketing ajudam você a automatizar suas campanhas e rastrear o ROI do início ao fim.

Além disso, você Continue lendo...

Como aumentar sua lista de e-mail marketing

Todos os profissionais de marketing buscam formas de aumentar sua rede de contatos, e trabalhando com o e-mail marketing, não poderia ser diferente.

No entanto, existem uma série de práticas que podem até te ajudar a aumentar sua quantidade de leads, mas que são antiéticas de serem usadas. Por exemplo, é ilegal enviar mensagens de e-mail não solicitadas exceto em circunstâncias limitadas.

Se os clientes consentiram em receber informações de você no passado, ou seja, optou ou se inscreveu em sua lista de e-mail marketing, você pode enviar-lhes informações sobre outras coisas que você acha que eles podem estar interessados.

No entanto, você deve dar a essas pessoas a opção de se inscrever ou cancelar a subscrição de receber quaisquer outras mensagens de você.

Neste artigo, vamos dar algumas ideias simples para aumentar sua base de leads de forma ética e legal.

Usando incentivos para obter inscrições por e-mail

As pessoas são mais propensas a se inscrever na sua lista de e-mail marketing se você der um incentivo que pra elas é útil.

Por exemplo, você pode oferecer serviços especiais ou descontos em produtos selecionados para os clientes que se inscrevem para suas atualizações de e-mail.

É ainda mais eficaz quando você faz ofertas disponíveis exclusivamente através de seu e-mail marketing. Você pode, então, estar mais confiante de que os destinatários irão verificar o e-mail mais recente do seu negócio.

Você também pode oferecer coisas como conteúdo online exclusivo e entrada para concursos em troca de inscrições por e-mail.

Capturar os dados do cliente para o e-mail marketing

Há uma série de maneiras, tanto online quanto offline, como você pode capturar os dados do cliente para ser usado para suas listas de e-mail marketing.

Um método comum é encorajar a inscrição por e-mail através do seu site, normalmente com um formulário de inscrição. Vale sempre a pena destacar os benefícios de se inscrever no seu serviço de e-mail e fornecer um formulário simples para se registrar.

Você deve tornar este processo o mais rápido e fácil possível para o cliente, capturando apenas uma pequena quantidade de dados inicialmente, por exemplo nome e endereço de e-mail, ou apenas o e-mail.

Você pode, então, acompanhar isso com um e-mail onde um cliente pode informá-lo de outras preferências ou áreas de interesse.

É também uma boa prática informar os clientes sobre o que irão receber por e-mail e com que frequência devem esperar receber os seus e-mails.

As formas de construir o seu banco de dados offline incluem pedir aos clientes o seu endereço de e-mail, quando eles estão em um evento que você está executando ou na loja.

Por exemplo, algumas empresas de varejo capturam endereços de e-mail do cliente, oferecendo recibos eletrônicos de e-mail quando uma compra é feita na loja. Você também pode oferecer um pequeno desconto ou presente gratuito como um incentivo.

O e-mail pode ser uma ferramenta de marketing muito barata e eficaz se você conseguir que clientes e potenciais clientes solicitem atualizações de você por e-mail.

Esperamos que você tenha gostado do nosso artigo. Se gostou, deixe um comentário e aproveite para compartilhar este artigo com seus amigos.… Continue lendo...

Consultoria de SEO entenda como funciona

Entenda o que as empresas estão usando para posicionar sua marca na internet

Uma vez que o marketing digital é uma estratégia completa e composta por diferentes atividades, para que uma empresa consiga obter o resultado desejado é necessário contar com profissionais que sejam especialistas em cada uma dessas atividades. Para isso é preciso também realizar a consultoria de SEO.

Muito se fala sobre esse assunto e especialmente, os empreendedores que estão buscando novas formas de conseguir atingir o seu objetivo através dos meios online, podendo ser na maior parte dos casos, o aumento do faturamento da empresa.

Nesse artigo você vai conferir um pouco sobre o que é o SEO, se você ainda não conhece e ainda, o que significa realiza uma consultoria de SEO e qual a sua necessidade.

Search Engine Optimization

Conhecido em todas as partes do mundo o SEO – Search Engine Optimization é o conjunto de atividades e análises realizados de forma estratégica, que consegue proporcionar a conquista das primeiras posições, no mecanismo de busca.

Otimização on-page e off-page, são algumas das principais ações necessárias, para atingir esse resultado.

Entenda o que é a consultoria de SEO

Nos dias de hoje é preciso estar na internet para que os seus clientes possam encontrar informações a respeito da sua empresa e também, do produto ou serviço que a sua empresa comercializa.

Desse modo é possível aumentar o faturamento da sua empresa e também, o alcance da sua marca para conseguir falar com o seu público alvo.

Muito mais do que nas redes sociais e vídeos no Youtube o que traz um resultado realmente expressivo, são as estratégias realizadas no mecanismo de busca.

Portanto, é de grande importância contar com o auxílio de um profissional que tenha o conhecimento adequado, para conseguir realizar as estratégicas necessárias e posicionar corretamente a sua marca na internet.

Como funciona a consultoria de SEO

monitoramento de palavras chave

Não existe apenas uma forma de realizar a consultoria de SEO. No entanto, essa atividade consegue reunir diferentes conceitos, estudos e análises para conseguir identificar e realizar as principais estratégias para conseguir alcançar os primeiros resultados no mecanismo de busca.

Para você que está chegando nesse universo do marketing digital há pouco tempo, saiba que os sites que são encontrados nas 3 primeiras posições do Google, depois de digitado um termo para pesquisa possuem excelentes taxas de tráfego para o site ou seja, grande quantidade de pessoas que acessam o site da empresa.

E se o site é feito com alta qualidade tanto no layout como no conteúdo, é possível obter o aumento das vendas do produto ou serviço de uma empresa e logo, aumentar o faturamento da mesma.

Um empreendedor, por exemplo, dentre tantas atividades em sua própria empresa pode conseguir realizar algumas estratégias para aumentar o número de pessoas que acessam o site a empresa.

Mas saiba que através da consultoria de SEO um profissional especializado nesse segmento, irá realizar e indicar as principais estratégias.

Ao longo do processo da consultoria, as principais atividades realizadas serão:

  • Identificação de métodos estratégicos;
  • Monitoramento do avanço das estratégias e resultados;
  • Cronograma de ações e pautas;
  • Análise de mercado;
  • Análise de público;
  • Auditoria das estratégias atuais.

Com a consultoria de SEO a estratégia não será apenas entregue na mão do cliente mas terá sim, um profissional que irá acompanhar cada uma das etapas necessárias para conseguir educar o cliente, além de identificar e apresentar as melhores propostas de estratégias, sempre levando em conta qual é o objetivo final.

O profissional deverá utilizar os conhecimentos específicos para proporcionar qualidade de serviço, em cada uma das etapas necessárias ao longo do processo.

Se você tem interesse em investir nesse serviço, que consegue elevar potencialmente a geração de tráfego para o seu site, saiba que a contratação pode ser uma consultoria contínua ou pontual.

A forma de contratação poderá variar de acordo com a necessidade da empresa e também, o objetivo proposto inicialmente.Continue lendo...

O que é Inbound Marketing e como aplica-lo em sua empresa

O  Inbound Marketing é uma estratégia que utiliza marketing de conteúdo para criar a consciência da marca e assim, atrair novas oportunidades de negócios.

Exemplos de conteúdo e táticas de inbound marketing incluem posts, fotos, infográficos, vídeos, podcasts, apresentações, e-books, whitepapers, newsletters, ezines, webinars, search engine optimization (SEO) e conteúdo em mídias sociais.

Vivemos em uma era de Marketing Digital, a palavra de abundância de informação, escassez de atenção e o ritmo da criação de informação está acelerando.

Nossos possíveis compradores estão mais empoderados com informações. O conteúdo disponível na Internet e mídias sociais dão a eles informações suficientes para terem mais critérios em suas aquisições.

Por isso, as táticas tradicionais de marketing baseadas no na compra de espaços publicitários estão se tornando cada vez menos eficazes.

Neste artigo da JFSites, vamos descobrir mais sobre Inbound Marketing e também como aplica-lo em sua empresa.

Como começar a fazer inbound marketing

Identifique o seu público-alvo e aprenda tudo o que puder sobre eles.

Você não pode escrever conteúdo relevantes para sua audiência até que você saiba o que faz o seu público funcionar.

É importante criar um cronograma que irá consistentemente te ajudar a criar conteúdo relevante para continuar a envolver o seu público. Tenha em mente que seu tema deve ser focado em questões de clientes, não em seu negócio.

E não se esqueça de reservar tempo para análise semanal. Este passo irá ajudá-lo a compreender a eficácia do seu investimento em inbound marketing e como otimiza-lo.

Blog

De longe a forma mais comum de fazer inbound marketing: blogar pode desempenhar um papel poderoso na condução do tráfego e nutrir seus leads.

SEO (Search Engingle Optimization)

Search engine optimization é uma parte integrante do Inbound Marketing.

SEO em conteúdo pode substituir alguns gastos de publicidade, uma vez que o conteúdo é tornado mais visível em sistemas de busca e outros canais voltados para o público alvo.

Usando uma análise de palavras-chave eficaz, layout bem estruturado e as melhores práticas de SEO, irá garantir que o seu conteúdo está sendo visto pelo público certo e trazer leads.

Mídias sociais

Com aproximadamente 70% de potenciais compradores usando as mídias sociais para compartilhar informações, você não pode se dar ao luxo de negligenciar essas redes.

Mídias sociais  como Facebook, Twitter e Pinterest podem te ajudar a aumentar o alcance de suas ofertas

Webinars

Você pode levar o inbound marketing para o próximo nível com webinars online e eventos ao vivo.

Você pode criar um conteúdo altamente relevante para sua audiência e também interagir com eles.

Conclusão

O Inbound Marketing pode gerar economia e eficiência para as empresas pois as técnicas dependem menos de espaços publicitários e interrupção da atenção do usuário, tais como ligações frias, disparos de e-mail, mala direta, anúncios no Facebook, TV e rádio para obter leads.

A maioria das plataformas que ajudam a compartilhar conteúdo, como Facebook, Twitter, YouTube são livres de usar e se inscrever, o que compensa ainda mais os custos.

Uma vez que o Inbound Marketing é mais barato de executar, as empresas menores são capazes de competir por leads na Internet em condições de igualdade com empresas maiores.

Esperamos que este artigo tenha te ajudado, se gostou, aproveite e compartilhe o artigo com seus amigos.… Continue lendo...

7 dicas de vendas antigas para comércio eletrônico

Muitos varejistas on-line não se concentram em vender. Uma loja online é um agente de vendas digital. Seu site tem que ser feito por uma boa agência de criação de sites, ele deve interpretar as necessidades de um comprador, divulgar produtos relevantes e fechar o negócio – muito parecido com os associados de vendas diretas ou na loja.

Mas, na minha experiência, os comerciantes de comércio eletrônico geralmente falham em tudo ou em parte disso.

Por exemplo, os varejistas costumam apresentar um rico conteúdo de produto que se parece com seus concorrentes e, portanto, eles se sentem bem com isso. De fato, por causa da distribuição pelos fabricantes, o conteúdo é freqüentemente o mesmo. Não há diferença entre os concorrentes.

Se o seu conteúdo é único, você pede o pedido quando os possíveis clientes estão lendo ou visualizando? Ou os seus clientes em potencial usam seu catálogo de produtos para pesquisa e depois compram em outro lugar?

Sua loja é diferente? Você oferece histórias de clientes que confirmam a qualidade de sua marca? Você oferece produtos melhores ou uma experiência de compra mais fácil? Melhor preço? Melhor atendimento ao cliente? Mais importante, você está vendendo produtos que os consumidores estão procurando?

Vamos rever os passos da velha escola de uma venda.

  • Estabelecer credibilidade. Conquiste a confiança dos compradores e estabeleça que sua empresa tenha uma proposta de valor exclusiva que atenda às suas necessidades.
  • Juntar informação. Entenda as intenções dos compradores e os problemas que eles estão tentando resolver.
  • Forneça conteúdo apropriado – recomendações de produtos e informações de suporte – com base nas necessidades dos compradores.
  • Tem um julgamento perto. A adição de produtos a listas de desejos e carrinhos de compras é ” fechamento de teste “, assim como a inscrição em boletins informativos por email e vários alertas.
  • Superar objeções. Ouça e responda a objeções e preocupações.
  • Peça o pedido. Não mexa. É só perguntar.
  • Acompanhamento pós-venda. Peça feedback. Como foi a experiência de compra? O que o cliente acha dos produtos?

Sua loja online suporta essas etapas?

Estabelecer credibilidade

Construa uma história de marca que envolva seus compradores e o diferencie dos concorrentes. Forneça transparência sobre quem você é, onde você está localizado, como entrar em contato com a empresa e quem lidera a empresa. Conte histórias de sucesso ao cliente, com imagens.

Tente tornar seu site acessível para usuários com deficiências visuais. Tente, também, estar em conformidade com o GDPR. Se a conformidade com o GDPR não for financeiramente viável, divulgue as informações coletadas. Verifique se seu site está seguro. Oferecer várias opções de pagamento. Não direcione o comprador com ofertas ou assinaturas de e-mail antecipadamente.

Juntar informação

Colete informações sutilmente – com navegação, filtros e facetas, pesquisa, cookies primários e comportamento do site. Plataformas de comércio eletrônico têm vários recursos. Categorias bem projetadas e caminhos de navegação que guiarão os usuários e ajudarão os comerciantes a entender suas necessidades.

Os dados das análises podem agrupar os compradores com base em comportamentos e inferir os produtos que eles provavelmente compram. Identificar esses comportamentos e categorizar os compradores em personas pode ajudar muito a entender suas intenções.

Plataformas mais poderosas usam a pesquisa para inferir essas intenções. Ao fornecer sugestões de digitação antecipada e usar o aprendizado de máquina, os mecanismos de pesquisa podem prever os produtos que os compradores estão procurando.

A navegação guiada também é uma maneira poderosa de aprender sobre seus compradores. Faça perguntas durante o processo de navegação para restringir as opções. A pesquisa filtrada também ajuda.

Use itens em carrinhos de compras e listas de desejos para entender as necessidades dos compradores. Aproveite esses itens para recomendações de produtos e ofertas promocionais.

Entregar conteúdo apropriado

Se você ouviu e tem uma navegação bem projetada, é possível exibir produtos e informações relevantes para os compradores.

Certifique-se de que as informações do produto sejam ricas, claras e detalhadas. Forneça conteúdo gerado pelo usuário, histórias de sucesso do cliente e consultoria especializada. Imagens de estilo de vida podem alinhar compradores com produtos.

Ofereça produtos alternativos também, incluindo vendas cruzadas e upsells.

Julgamento Fechar

Os representantes de vendas geralmente esquecem essa tática, mas os sites de comércio eletrônico a usam com frequência. Adicionar um item a uma lista de desejos ou carrinho é um fechamento de teste. Mostra a intenção de compra do comprador. Pode confirmar que o comerciante está mostrando os produtos certos.

Outros tipos de conteúdo também podem confirmar o interesse do comprador. Estes incluem inscrever-se para receber notificações por email ou texto. Para móveis, carros e eletrodomésticos, aplicar para financiamento é um fechamento de teste.

Superando objeções

Os compradores normalmente estão preocupados com as taxas de envio, disponibilidade, devoluções, entrega, preços, garantia e confiabilidade. Esteja preparado para responder a essas preocupações de maneira rápida e direta.

Mostrar disponibilidade na sua lista Continue lendo...

Como o Google localiza e indexa páginas da Web?

Quando um cliente em potencial insere uma consulta no Google, pesquisando os produtos que sua empresa vende, ela não está pesquisando na internet ao vivo. Em vez disso, ela está pesquisando páginas da web no índice da internet do Google.

De certa forma, esse consumidor está pesquisando na web recente e conhecida, e não na web ao vivo em tempo real. Portanto, mesmo antes de se preocupar com a classificação das páginas do seu site de comércio eletrônico no Google, é importante entender como o mecanismo de pesquisa do Google localiza e indexa essas páginas.

Aranhas e Sitemaps

O Google usa dois métodos principais para encontrar páginas da web de comércio eletrônico: sitemaps e software chamado de web spiders ou crawlers.

Uma teia de aranha faz o download de uma cópia de uma determinada página da web. Imagine por um momento que o Googlebot (isso é o que o Google chama de web spider) cai na página “Tabuleiro de damas” do site da Vans.

Esta página de detalhes do produto Vans inclui muitos links. O Googlebot seguirá esses links para descobrir outras páginas.

A página de detalhes do produto desta Vans inclui muitos links. O Googlebot seguirá esses links para descobrir outras páginas.

O Googlebot observará o conteúdo da página – nome do produto, descrição, preço, imagens -, mas também acompanhará as dezenas de links na página.

Então, a menos que o link ou arquivo robot.txt informe explicitamente ao Googlebot que não o siga, o spider irá seguir os links para cada página e catalogar o que encontrar. No exemplo da Vans, isso levaria o Googlebot ao catálogo de produtos do site, a muitas das páginas informativas do site, incluindo locais de lojas e cartões-presente, e até mesmo às páginas de conteúdo sobre skate, snowboard e BMX.

Cada vez que o Googlebot encontrou um link para uma nova página, ele adicionava o URL à sua lista de páginas a serem rastreadas. Desta forma, o Googlebot pode descobrir todas as páginas no site da Vans.

Então, vamos aplicar o que sabemos agora para ajudar o Google a descobrir as páginas do seu site de comércio eletrônico.

Primeiro, quanto melhor o trabalho do seu site com links internos – por meio de clusters de tópicos , por exemplo -, mais fácil para o Googlebot encontrar todas as suas páginas.

Em segundo lugar, concentre-se em obter outros sites para vincular às suas páginas. O desenvolvimento de links não apenas ajuda a impulsionar seus rankings nos resultados de pesquisa, mas também pode ajudar na descoberta de páginas.

Em seguida, o Google também usa sitemaps como uma maneira de encontrar páginas de comércio eletrônico. Um sitemap é um arquivo de texto ou XML que lista todas as páginas que você deseja que o Google conheça no seu site de comércio eletrônico. Você pode enviar o sitemap por meio do Google Search Console .

Depois de enviado, o sitemap pode ajudar o Google a percorrer todas as páginas do seu site. Apenas lembre-se de que “o uso de um sitemap não garante que todos os itens do sitemap sejam rastreados e indexados, pois os processos do Google dependem de algoritmos complexos para agendar o rastreamento. No entanto, na maioria dos casos, seu site se beneficiará de ter um sitemap, e você nunca será penalizado por ter um, ”de acordo com o Google .

Em suma, se você quiser que o Google encontre suas páginas de comércio eletrônico, (i) desenvolva uma boa estratégia de links internos, (ii) incentive links de outros sites para os seus e (iii) envie um sitemap.

Ajudando o Google

Conforme o Googlebot funciona em seu site de comércio eletrônico, ele também leva em consideração o título da página e o conteúdo de tags importantes, como cabeçalhos. É por isso que tantos especialistas em consultoria SEO recomendam colocar frases-chave no título de uma página e nas tags H1.

O Google atribui algum peso aos dados estruturados , principalmente no formato J SON-LD . Essa marcação de dados estruturados ajuda o Google a entender o tipo de página que tem em vista e pode contribuir para a indexação e a classificação.

A marcação de dados estruturados no formato JSON-LD ajuda o Google a indexar corretamente uma página.

Em última análise, o Google está tentando descobrir o que é sua página. O melhor trabalho que você faz para tornar isso claro e fácil de entender, o mais provável é que o Google indexe corretamente suas páginas de comércio eletrônico. E as páginas indexadas adequadamente são aquelas que aparecem nos resultados da pesquisa quando alguém realiza uma consulta.

Para melhorar a indexabilidade de uma página, concentre-se primeiro em fornecer informações úteis para visitantes humanos. O Google quer garantir que as páginas sejam boas para seus usuários.

Por exemplo, não coloque uma página com palavras-chave ou frases-chave. Use as diretrizes do Google para conteúdo e organização.

“Além de combinar palavras-chave, os algoritmos buscam pistas para avaliar quão … Continue lendo...

O principal requisito do marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo deve atrair clientes leais ao seu negócio. É suposto ser útil, informativo e divertido. Deve atingir princípios fundamentais de persuasão. Mas como o conteúdo pode fazer alguma dessas coisas se ninguém lê, assiste ou escuta?

Os artigos que sua empresa publica devem ser lidos de cima para baixo. Se sua empresa faz um vídeo, você quer que as pessoas assistam duas vezes. Seus podcasts devem ser antecipados e apreciados desde a abertura até o final.

Assim, o principal requisito do marketing de conteúdo é ser envolvente. Sem envolvimento, o conteúdo não pode cumprir seu potencial como ferramenta de marketing. Neste artigo, explicarei por quê.

Não vou sugerir técnicas ou padrões de escrita. Não vou explicar como compor melhores sub-cabeçalhos ou descrever como Malcolm Gladwell, um excelente escritor, pode tornar um artigo sobre o ketchup interessante o suficiente para ser publicado na revista The New Yorker. Em vez disso, vou incentivá-lo a escrever uma cópia melhor, criar vídeos melhores e produzir podcasts melhores.

O marketing de conteúdo deve fornecer valor ao seu público. Quando isso acontecer, será envolvente.

Princípios da Persuasão

O Dr. Robert Cialdini é professor de psicologia e marketing e autor do livro “Influence: The Psychology of Persuasion”. Cialdini sugeriu que a influência é baseada em seis princípios: autoridade, likeability, reciprocidade, consistência, consenso e escassez.

“Em resumo, estamos inclinados a aceitar a sugestão de alguém se pensarmos que essa pessoa é um especialista credível (autoridade), se a considerarmos um amigo de confiança (simpatia), se sentirmos que lhes devemos uma (reciprocidade) , ou se isso for consistente com nossas crenças ou compromissos anteriores (consistência). Também estamos inclinados a fazer escolhas que consideramos populares (consenso), e isso nos renderá uma mercadoria escassa (escassez) ”, escreveu o Dr. Douglas T. Kenrick em um artigo de 2012 da Psychology Today sobre persuasão e Cialdini.

O marketing de conteúdo pode posicionar sua empresa como especialista em um determinado campo (autoridade). Isso pode te agradar ao seu público (likeability). Quando sua empresa oferece conteúdo gratuito e valioso (escassez), sua audiência de potenciais clientes pode se sentir obrigada a sua empresa (reciprocidade).

Desta forma, o marketing de conteúdo emprega pelo menos quatro dos principais princípios de persuasão de Cialdini. Se o seu conteúdo também reforçar as ideias ou crenças de um leitor (consistência) ou discutir posições populares (consenso), é possível usar todos os seis princípios.

Com o tempo, o marketing de conteúdo ajuda sua empresa a construir um relacionamento com seu público, de modo que, quando você recomenda um produto ou serviço, as pessoas o compram.

O marketing de conteúdo, no entanto, só funciona quando se envolve. Um artigo medíocre não irá posicionar o seu negócio como um especialista no campo. Se sua apresentação for focada em vendas demais, não será agradável. Se o seu conteúdo não fornecer valor, não haverá senso de escassez ou reciprocidade.

SEO

Em seu “ Guia Definitivo de SEO em 2019 ”, a empresa de otimização de mecanismos de busca Backlinko argumenta que os sinais de experiência do usuário representam um fator de classificação cada vez mais importante.

A empresa acredita que o Google está usando algoritmos de inteligência artificial para medir “como os usuários interagem com os resultados da pesquisa e os classificam de acordo”.

“Por exemplo, digamos que você pesquise por ‘café gelado’ no Google. O quarto resultado parece especialmente atraente. Então você rapidamente clica nele. E quando você chegar lá … uau! É o melhor artigo sobre café que você já leu. Então você devora cada palavra ”, disse o guia.

O Google “vai tomar nota e provavelmente dará ao quarto resultado um aumento no ranking”.

A ideia é que, se um mecanismo de pesquisa como o Google ou o Bing puder determinar quanto tempo um usuário habita (tempo de permanência) em uma página, ele poderá recompensar as páginas mais atraentes.

O conceito, no entanto, não é uma certeza. Joshua Hardwick, da Ahrefs, escreveu que “o tempo de permanência é uma métrica confusa e incompreendida”, acrescentando que o Google não disse oficialmente esse tempo de permanência – “a quantidade de tempo que passa entre o momento em que um usuário clica em um resultado de pesquisa e retorna à pesquisa página de resultados ”- é um fator de classificação.

No entanto, é bastante claro que os mecanismos de pesquisa, como o Google e o Bing, estão, pelo menos, considerando a experiência do usuário como um fator de classificação. Também está claro que a experiência do usuário é uma indicação de relevância e intenção .

Bottom line, conteúdo envolvente que mantém os visitantes em seu site pode ter um impacto nos rankings de busca orgânica . Se seu público de clientes em potencial estiver lendo cada palavra ou assistindo até o último segundo de cada vídeo, você pode não apenas persuadi-los a comprar seus produtos, … Continue lendo...